Campina Grande do Sul

Entender a diferença entre os testes de Covid-19 pode ser crucial para salvar vidas

Um caso de falso negativo, por exemplo, pode fazer com que a pessoa infectada continue espalhando o vírus.
(Foto: Divulgação)

Existem quatro principais exames para a detecção da Covid-19: RT-PCR, Antígeno, Sorologia IgM/IgG e Sorologia IgG. Entender a diferença entre eles pode ser crucial para salvar vidas. Caso um paciente com suspeita da doença realize o exame fora do período indicado para uma determinada metodologia, por exemplo, o resultado pode apontar um falso negativo ou um falso positivo.

O falso negativo é especialmente perigoso, pois nesse caso uma pessoa infectada pode continuar espalhando o vírus, acreditando que não está contaminada, e deixe de receber o tratamento adequado. 

METODOLOGIAS

O chamado RT-PCR (sigla em inglês que significa Reação em Cadeia da Polimerase) é considerado o exame 'padrão ouro', inclusive indicado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Ele detecta a carga genética (RNA) do vírus na secreção respiratória. A coleta pode ser realizada do primeiro ao sétimo dia de sintomas e o resultado fica pronto em até cinco dias. 

O Antígeno, metodologia semelhante ao RT-PCR, mas com melhor custo-benefício, detecta pedaços da partícula viral por técnicas de imunofluorescência. Outra diferença é o tempo de espera pelo resultado, que, neste caso, é de, no máximo, 24 horas. 

 

O Antígeno tem o melhor custo-benefício.


Na Sorologia IgM/IgG e na Sorologia IgG (o popular 'teste rápido'), o material coletado é o sangue. Nenhum deles detecta o vírus, mas sim os anticorpos de defesa produzidos pelo organismo. A diferença entre eles é que a Sorologia IgM/IgG pode detectar tanto a presença do IgM, que sinaliza que a pessoa está na fase aguda da doença, ou seja, dentro do período de transmissão, como o IgG, um anticorpo de infecção tardia, o que significa que a pessoa já foi contaminada e se curou da doença. Já o 'teste rápido' identifica apenas uma infecção tardia. Ambos são indicados para pacientes assintomáticos e para aqueles que estão há mais de sete dias com sintomas. Nos dois casos o resultado sai em até 24 horas.

LABORATÓRIO

Dentro de tantas possibilidades para o diagnóstico da Covid-19, o suporte oferecido pelos laboratórios de análises clínicas é fundamental. “Muito mais que ‘vender' exames, nossa preocupação principal é agregar valor ao desfecho diagnóstico para todos os envolvidos: pacientes, familiares, empresas e sociedade. Ter um especialista dentro do laboratório, capaz de orientar os médicos na prescrição racional de exames, na interpretação deles e também na incorporação de novos exames de ponta é um diferencial que pouquíssimos laboratórios clínicos possuem em nosso país”, afirma o médico infectologista Ricardo Kosop, diretor do Laboratório de Análises Clínicas Caboracy Kosop (LabCK), localizado em Campina Grande do Sul. Uma das funções dele é coordenar o suporte diagnóstico nas fases pré e pós-analítica, ou seja, orientar quais, e quando, os exames devem ser solicitados, além de auxiliar na interpretação deles. Desde a primeira semana de abril, o LabCK fez mais de mil exames para Covid-19. 

Serviço: o Labck realiza os quatro tipos de exames para detecção da Covid, com valores que variam de R$ 89,90 a R$ 310. O laboratório atende os pacientes tanto na matriz, que fica anexa ao Hospital Angelina Caron, como pelo serviço de coleta móvel, que cobre a área de Curitiba e região metropolitana. O agendamento pode ser feito pelo Whatsapp (41) 41 9877-8334 ou pelo aplicativo Onlife.