Campina Grande do Sul

Em relação ao ano passado, lojistas esperam até 10% de aumento nas vendas de dia das crianças

Data deve movimentar o comércio local, especialmente as lojas de roupas infantis e brinquedos
A Loja Nina, no Jardim Paulista, está entre os estabelecimentos que esperam que as vendas aumentem este ano

A maioria dos comerciantes da região espera neste dia das crianças um fluxo de venda maior, se comparado a 2018. A expectativa de crescimento varia de 5% a 10%, de acordo com o segmento. A grande aposta do comércio este ano é relacionada às lojas de vestuário, já que o consumidor está preferindo cada vez mais em confecção para presentear a criançada.

É o que lembrou o empresário Fernando Viana, proprietário da Sapeca Moda Infantil, que há seis anos está localizada no Jardim Paulista, em Campina Grande do Sul. “Nós esperamos um aumento de 7% nas vendas de dia das crianças em comparação com o ano passado. Com isso, estamos reforçando nosso estoque com produtos que são a cara da criançada e caprichando nas vitrines. Além de preparar uma decoração e promoções especiais para a data”.

Para ele, o maior fluxo de vendas acontecerá desde a próxima segunda-feira, dia 7, mas os dias com maior movimento na loja serão na sexta-feira, que antecede a data, dia 11, e no próprio sábado, dia 12. “Por isso, quem quiser ter mais tranquilidade na hora da compra, deve se adiantar e não deixar para a última hora”.

A Loja Nina também espera que as vendas aumentem este ano. “Como já temos uma boa clientela na região e oferecemos produtos diversificados, nossas vendas sempre aumentam em todas as datas comemorativas. Para o Dia das Crianças, esperamos um aumento de 10% nas vendas, comparando com o ano passado”, explica a proprietária, Ana Paula. O maior número de pessoas, para as compras de 12 de outubro, é esperado neste final de semana, que antecede a data e na sexta-feira, dia 11, e no sábado, dia 12.

A JC Móveis, também localizada no Jardim Paulista, que tem algumas opções de brinquedos e utilitários para crianças, espera um aumento de 5% nas vendas este ano. “Acreditamos que, neste ano, os pais vão presentear os filhos com uma pequena lembrança”, diz Joslei, proprietário da JC. Segundo ele, o valor médio gasto em cada presente deve ficar entre R$ 100 e R$ 150.

Na capital, Curitiba, a porcentagem deve ser ainda menor: a estimativa de crescimento real é de 1,3% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com pesquisa Data Censo e divulgada pela Associação Comercial do Paraná.